Stranger Things e a direção contrária dos clichês.



Eu planejava assistir Stranger Things no momento em que vi o primeiro trailer, porem já tinha esse sentimento que seria mais um vasto clichê sobre desaparecimento, crianças e alienígenas.

Não vejo nenhum problema com isso, uma vez que adoro coisas desse tipo.

Porém com essa nova série da Netflix fui pega de surpresa pelo fato dos clichês que pareciam que iriam acontecer na verdade não acontecerem. Chega até a ser irritante, porque todo mundo reclama, porém todos estão acostumados que aquilo que é esperado acontecer realmente aconteça, principalmente sobre casais e estereótipos de personagens.
As crianças que estrelaram a série com certeza chamaram toda a atenção, até mais do que a que deveria ser a "estrela" Winona Ryder, todos estavam focados naqueles jovens tão peculiares.

Sério, conseguiram chamar atores novos e totalmente diferente do que estamos acostumados a ver que se encaixaram perfeitamente no ano tenso e antigo que nos trás uma sensação de como se aquilo realmente tivesse acontecido em algum lugar.


David Harbour fez o papel do delegado Jim Hopper, um homem que parece perdido em suas próprias agonias, que não se importar em arriscar-se para conseguir pistas, mas que ainda sofre pelas conturbações de seu passado que ainda arriscam seu futuro.


Como eu disse estereótipos não fazem parte dessa série, quando olhei para a família de Joyce (Winona Ryder) já pensei que o irmão mais velho, Jonathan iria ser o tipo rebelde disfuncional que não aceita nada do que a mãe diz, só eu achei ele com uma super cara de mal? Me surpreendi quando fomos descobrindo mais sobre o jovem.

Nancy (Natalie Dyer) e Steve (Joe Keery) são o casal estranho/fofo/nerd/popular da série, a típica história da garota considerada nerd e do super popular e carismático que só quer dormir com a garota bonitinha, como eu disse mais uma boa surpresa da série que conseguiu evoluir personagens em um curto tempo.

Dustin, Lucas e Mike são provavelmente os melhores amigos que alguém poderia ter e são praticamente os primeiros a desconfiarem do misterioso desaparecimento de Will, acreditando com suas mentes criativas que ele poderia ter sido pego pelo medonho Demogorgon de seu jogo interativo Dungeons and Dragons.


Onze (Millie Bobby) é com certeza uma personagem marcante por seu jeito meio perdido e a forma como se apegou aos três amigos e estava disposta a ajudá-los a encontrar seu amigo Will e salvá-los dos perigos que estavam prestes a cercá-los, seu amor por panquecas pareceu conquistar os corações da série!!

A partir daí a aventura se torna sombria e cheia de verdades do mundo real e da ganância humana.

Com toda certeza você vai adorar o desdobramento dos personagens, a química do elenco e como hoje em dia ainda é possível se surpreender com séries. Como sempre a Netflix esta de parabéns por mais uma série e esperamos que essa industria cresça ainda mais mostrando-nos séries novas e bem feitas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja gentil e não fale nada que possa magoar os outros, aproveite para deixar o link do seu blog vai que outros leitores se interessem!!

© Deitada em Nuvens - 2017 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo