Amy e Matthew de Cammie McGovern



Amy e Matthew não se conheciam realmente. Não eram amigos. Matthew sabia quem ela era, claro, mas ele também sabia quem eram várias outras pessoas que não eram seus amigos.Amy tinha uma eterna fachada de felicidade estampada em seu rosto, mesmo tendo uma debilitante deficiência que restringe seus movimentos. Matthew nunca planejou contar a Amy o que pensava, mas depois que a diz para enxergar a realidade e parar de se enganar, ela percebe que é exatamente de alguém assim que precisa.À medida que passam mais tempo juntos, Amy descobre que Matthew também tem seus problemas e segredos, e decide tentar ajudá-lo da mesma forma que ele a ajudou.E quando a relação que começou como uma amizade se transforma em outra coisa que nenhum dos dois esperava (ou sabe definir), eles percebem que falam tudo um para o outro... exceto o que mais importa.

Nota:

Páginas: 227.

Editora: Galera.

Eu estava muito ansiosa para ler esse livro, muito mesmo.

Minha expectativas foram alcançadas até certo ponto, mas infelizmente não foi tão emocionante ou engraçado como eu achei que seria. Amy e Matthew ao mesmo tempo em que são diferentes, tem alguns pontos iguais.

A diferença entre eles é como cada um enxerga sua diferença e a aceita.

Nas primeiras páginas achei muito interessante o relacionamento em que os dois foram colocados, junto aos outros três personagens cada um com seu jeito de levar a vida.


Acho que o problema veio mesmo do meio para o final do livro, algumas coisa aconteceram de uma forma MUITO, MUITO inesperada... Nunca que eu iria imaginar o rumo que Amy e Matthew tomariam! Algumas atitudes que foram tomadas me deixaram perplexa e não tinha jeito a todo instante eu questionava esse amor entre os dois!

Matthew sempre estava lá e voltava correndo quando ela mandava um e-mail e ainda sim eu não enxergava Amy amá-lo dessa forma porque ela sempre parecia estar pensando em sexo!!! No começo achava tão fofo o modo como ela pensava nele, se importava e imaginava-se em um namoro...

No meio do livro Amy mudou tanto!

Não sei, imaginei algo diferente sobre esse livro. Esperava menos... Drama e mais comédia. Amizade.

O que compensou foram os diversos momentos de superação, vemos Matthew superando seu problema a cada página, conseguimos sentir o desespero dele página por página o modo como sua cabeça funciona chega a ser interessante!

Outro ponto irritante foi a mãe da Amy. Queria ter entendido melhor a cabeça dela, mas não acho que tenha conseguido, imaginamos que ter uma filhacom essas deficiências a tornará super protetiva, mas... algumas vezes imagino que ela chegou no ponto irritante ao imaginar que Amy era superior a qualquer um!

Amy era só uma garota esforçada, inteligente e que se dedicava aquilo que gostava. Não queria ser melhor que ninguém por conta de sua deficiência.

Queria que ela tivesse dito isso a mãe, muitas vezes só liamos Matthew dizendo que a cara de uma ou a cara de outra encontrava-se vermelha por provavelmente outra discussão, mas raramente sabíamos o conteúdo desse discussão.

Sanjay foi outro que eu tive vontade de chutar durante toda a leitura, Amy deveria ter sido sincera sobre ele com sua mãe porque esse garoto sim não tinha nível para ficar perto dela!

Quando deu uma palinha do final da mãe de Matthew fiquei triste pela história não nos mostrar um pouco mais sobre ela, pouquissiiiimas vezes ela surgia e quando era mencionada Matthew sempre dizia que ela bebia demais.

Foi uma leitura leve e rápida, com um desfecho interessante e acontecimentos que me faziam reler o parágrafo umas 30 vezes, porém o que vale a pena ao ler esse livro é descobrir que as vezes precisamos de uma ajuda diferente para superar nossos medos, entender quem somos e o que queremos.

As vezes acreditar um pouco em si mesmo pode fazer toda diferença.

Ela não era mais bonita que a modelo da foto: qualquer um podia ver isso. Mas aquela conversa abriu uma nova possibilidade: Matthew via o mundo de maneira diferente. Ele não gostava de garotas maquiadas porque tinha medo de tocar qualquer coisa que pudesse grudar em suas mãos. Não gostava de sutiãs aparecendo porque isso ia contra as regras. Ele não poderia ficar com uma daquelas garotas. Mas talvez, Amy começou a pensar, ele pudesse ficar comigo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja gentil e não fale nada que possa magoar os outros, aproveite para deixar o link do seu blog vai que outros leitores se interessem!!

© Deitada em Nuvens - 2017 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo